Pular para o conteúdo

Conheça quatro suplementos pouco efetivos na dieta

    Imagem: Internet

    A FDA, agência ligada ao departamento de saúde do governo dos EUA, parou de exigir que os vendedores listem valores diários de nutrientes como vitamina A e vitamina C nos rótulos nutricionais. De acordo com eles, “Deficiências dessas vitaminas são raras hoje em dia.”

    Enquanto a indústria de suplementos está vendendo no seu melhor, especialistas em nutrição recomendam que vitaminas e minerais venham principalmente de alimentos, não de pílulas. Alimentos como grãos integrais, vegetais e leguminosas são acessíveis e ricos em substâncias “boas”, e é difícil produzir suplementos que imitem o perfil nutricional exato de cada alimento.

    Deficiências específicas ou dietas limitadas devido a alergias ou intolerâncias alimentares são alguns exemplos de situações que podem ser consideradas suplementos necessários. Em outros casos, a própria dieta desempenha o papel. As pílulas de vitamina C, vitamina A, zinco e vitamina B geralmente não são indicados para pessoas saudáveis, e sim para uma minoria que segue uma prescrição bem restritiva devido à alergia, intolerância alimentar, bebês e quem planeja engravidar ou está grávida.

    Fora essas condições, a suplementação com esses quatro nutrientes não se faz necessária e deve ser feita sob recomendação de um profissional qualificado.