Médicos, nutricionistas, psicólogos: o papel de todos na perda de peso

/

Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2019, 6 em cada 10 brasileiros têm sobrepeso ou obesidade, o que aumenta o risco de problemas de saúde como diabetes, hipertensão e acidente vascular cerebral , Ataque cardíaco, apnéia do sono. Embora muitas pessoas acreditem que o excesso de gordura corporal é devido a um estilo de vida sedentário ou dieta pobre, essa condição é multifatorial.

Em outras palavras, pode ter múltiplas causas, geralmente relacionadas, como genética, problemas de humor, distúrbios do sono, alterações hormonais (devido a doenças ou ao uso de certos medicamentos).

É justamente porque o excesso de peso não é uma causa única. Para obter bons resultados no tratamento, as pessoas que desejam perder peso precisam ser acompanhadas em múltiplas disciplinas, sob a orientação de especialistas em diversas áreas, como médicos, nutricionistas, psicólogos e esportes principais. pessoa.

Esta equipe multidisciplinar irá fornecer diferentes métodos de tratamento; estabelecer metas saudáveis, alcançáveis ​​e consistentes com base na situação real do paciente; identificar obstáculos e ajustar continuamente o comportamento. Tudo isso para aumentar a chance de uma boa perda de peso e reduzir o risco de recuperação do peso em curto ou médio prazo.

Médico endocrinologista

O médico avaliará se é realmente necessário perder peso, e orientará o paciente para entender os riscos e benefícios do tratamento – cardiologistas, clínicos gerais e outros especialistas também podem fazer essa indicação de emagrecimento, mas o endocrinologista é o responsável por emagrecimento Monitore o processo de emagrecimento do início ao fim, portanto busque a orientação desse profissional.

O primeiro passo para um endocrinologista é entender o histórico médico do paciente, como seu peso ao nascer, quando ele começou a ganhar peso, se houve fatores que levaram ao ganho de peso e se ele já havia tentado perder peso antes.

Também requer testes para determinar se existem causas endócrino-endócrinas (como alterações hormonais) e para avaliar se a pessoa tem doenças relacionadas ao excesso de gordura, como diabetes ou pré-diabetes, hipertensão, colesterol alto, síndrome metabólica, gordura no fígado (esteatose hepática não alcoólica) e assim por diante.

Por meio dessa análise, os médicos (às vezes com outros especialistas em uma equipe multidisciplinar) determinam qual a melhor forma de emagrecer: se o paciente só vai mudar de hábito, ou se o uso de medicamentos para emagrecer ou intervenções cirúrgicas como emagrecimento é obrigatório.

Nutricionista

Avalia os hábitos alimentares de pessoas que buscam emagrecer e identifica mudanças que podem ser implementadas no trabalho diário do paciente para melhorar a qualidade dos alimentos, a ingestão de nutrientes e reduzir o gasto energético. A dieta hipocalórica balanceada somada à orientação nutricional pode reduzir significativamente o peso clínico, e é mais provável que mantenha o peso por muito tempo.

O tratamento direcionado ao nutricionista visa a reeducação alimentar sem radicalidade. Os profissionais ajudarão os pacientes a entender melhor o papel dos alimentos e de cada nutriente; entender como fazer as escolhas certas e preparar pratos saudáveis, em vez de grandes; explicar por que alguns alimentos, como doces, frituras e alimentos ultra processados, devem ser consumidos ocasionalmente, etc.

O foco é mudar o comportamento alimentar para que as pessoas não só possam emagrecer, mas também mudem seus hábitos, tenham uma alimentação saudável e possam manter esse novo cardápio “para sempre” para ajudar no controle do peso.

Além de orientar a dieta alimentar, nutricionistas – assim como esportistas e médicos – podem realizar medidas antropométricas (medir circunferência da cintura, circunferência da cintura etc.), composição corporal (percentual de gordura e massa magra) e fatores de risco para os pacientes. Os nutricionistas também podem diagnosticar a obesidade e realizar testes para avaliar se o paciente tem deficiências nutricionais (falta de vitaminas e / ou minerais no corpo), anemia, açúcar elevado no sangue (relacionado ao diabetes), etc.

Psicólogo e/ou psiquiatra

O ganho de peso geralmente está relacionado a problemas emocionais: a pessoa fica muito ansiosa ou estressada, e acaba utilizando a comida como “recompensa” e / ou forma de diminuir esses sentimentos – por esse motivo, muitas vezes procuram alimentos não saudáveis ​​(doces, jejum comida) Ou comer demais (comer uma pizza inteira em vez de duas pizzas).

Além disso, as pessoas obesas sofrem de grave estigma e discriminação, preconceito e violência, que prejudicam sua saúde emocional. Portanto, ansiedade e depressão são muito comuns nesses pacientes.

O papel do psiquiatra e / ou psicólogo é investigar essas condições emocionais e orientar o tratamento, buscando soluções para cada caso.

No tratamento de doenças mentais, aprendendo a lidar melhor com as emoções e buscando formas alternativas de controlar as emoções (exercícios físicos, meditação, hobbies, etc.), os pacientes tendem a melhorar as relações alimentares, o que ajuda a seguir o cardápio proposto pelo nutricionista e prefira a perda de peso.

Educador Físico

É responsável pelo desenvolvimento de programas de exercícios que visam aumentar a massa muscular, melhorar a saúde cardiorrespiratória e promover a deficiência calórica (fazendo com que as pessoas consumam mais energia do que consomem) para ajudar na redução da gordura corporal.

Como sempre, o foco não está apenas na perda de peso, mas na saúde e na mudança de hábitos. O treinador precisa instruir o paciente a tornar a atividade física “vitalícia” – ajudando no controle de peso a longo prazo – não apenas algo que traga resultados imediatos, e então o paciente desiste.

Não existe uma “fórmula mágica”, não importa que tipo de exercício seja melhor para emagrecer. O plano deve ser personalizado de acordo com as possibilidades e gostos do paciente. Geralmente inclui exercícios aeróbicos (caminhada, ciclismo, natação) e força muscular (musculação, treinamento funcional), pois o foco é a redução da gordura e a manutenção da massa muscular, o que é importante para a saúde e longevidade.

No processo de perda de peso, a atividade física ainda desempenha um papel importante em ajudar a controlar os sintomas de ansiedade, estresse e depressão – como já explicamos, pode fazer as pessoas “tirar” as emoções dos alimentos em vez de comer bem. vê como tudo no processo de emagrecimento se relaciona, por isso o acompanhamento multidisciplinar é fundamental?

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :